Dinâmicas territoriais e desigualdades na região do ABC - Saneamento Ambiental

Projeto de Pesquisa e Extensão

O projeto de pesquisa e extensão teve como objetivo identificar e compreender as dificuldades no acesso à água e a ocorrência de insegurança hídrica em diferentes formas de moradia em alguns assentamentos precários (comunidades) da Região do ABC, mais precisamente nos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema e Mauá. As comunidades selecionadas para a coleta de dados por meio de um questionário foram Ipiranga II (Santo André), Montanhão e Pós Balsa – Santa Cruz (São Bernardo do Campo), Sítio Joaninha e Nova Iguassu (Diadema) e Jardim Alto da Boa Vista (Mauá). Esta seleção resultou da articulação entre pesquisadores do Laboratório de Estudos e Projetos Urbanos e Regionais (Lepur) e do Laboratório Justiça Territorial (Labjuta) com parceiros atuantes no território, tais como, o Movimento de Defesa dos Direitos do Moradores em Núcleos Habitacionais – MDDF, a União dos Movimentos de Moradia de São Paulo – UMM, Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto – MTST, Movimento de Luta de Bairros – MLB, Associação do Moradores do Alto da Boa Vista – AMABV, além da participação do Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento – ONDAS. Concluiu-se que há insegurança hídrica em todas as comunidades estudadas, mas o grau e as características variam em cada uma delas. As principais causas da insegurança hídrica identificadas foram a intermitência no abastecimento e a dificuldade no pagamento da tarifa. Os resultados da pesquisa servirão para incrementar a luta da população pelo acesso à água limpa, em quantidade e qualidade e como estratégia de garantia das condições de segurança hídrica, bem como contribuir para políticas públicas emergenciais e de longo prazo e instrumento para reivindicação de melhorias dos serviços frente às concessionárias.